História e Canavial |

CAT | Religiosidade

 

São Jorge

São Jorge

SÃO JORGE.

Severino Vicente da Silva 

Poucos santos são tão populares quanto Jorge da Capadócia, embora os documentos que falam de sua vida não mereçam muita confiança dos historiadores. Jorge teria vivido no século IV, quando ainda ser cristão era um crime. Ele era de família ilustre e nobre e, secretamente cristã, seguidora de Jesus Cristo. Jorge decidiu ser soldado e logo foi feito oficial do exército romano. Após a morte de sua mãe repartiu a riqueza da família com os pobres. Quando o imperador Diocleciano decidiu promover uma grave perseguição aos cristãos, Jorge levantou-se em defesa da sua fé, declarando-se cristão. O imperador o mandou torturar e finalmente degolá-lo. O que aconteceu no dia 23 de abril de 303. O seu corpo foi levado para a cidade de Lida, onde cresceu e, anos depois o imperador Constantino, que se tornou cristão, mandou construir um oratório. A partir de então a devoção ao santo espalhou-se por toda a Europa.

Os reis da Inglaterra viam Jorge como o exemplo para a nobreza e todos os soldados, e nas bandeiras da Inglaterra e da Grécia podem ser vistas a Cruz de São Jorge. Também o rei que fundou Portugal tinha devoção a São Jorge, pois, segundo Dom Nuno Alves, São Jorge estava ao seu lado na batalha contra os espanhóis. São Jorge é o padroeiro de Portugal. Também na Rússia São Jorge é muito querido do povo.

Mas também tem uma lenda que diz que a mãe de Jorge morreu de parto e o menino foi roubado por uma fada que preparou o menino para as suas aventuras. O corpo de Jorge tinha três marcas: um dragão no peito, uma fita na perna e uma cruz no braço. Quando cresceu Jorge participou de uma cruzada contra os sarracenos na Líbia. Ali havia um monstro, um dragão que expelia veneno pelas narinas e exigia alimentação de ovelhas e, quando as ovelhas acabaram, o povo começou a alimentar a fera com as crianças. Finalmente, a fera ia se alimentar da filha do rei. Então Jorge, quando soube disso foi até o palácio do rei e o fez prometer que se ele matasse o dragão, todas as pessoas do reino se tornariam seguidoras de Jesus Cristo. Depois foi ao local onde o dragão vivia e mandou a jovem voltar para casa e lutou contra o dragão e o matou com um golpe de lança em sua garganta. Depois Jorge levou o corpo do dragão para a cidade e cortou a cabeça da fera na frente de todos. Nessa lenda, o Dragão é o demônio que traz o sofrimento e a morte, Jorge é o seguidor de Jesus que com sua fé salva o povo.

OGUM_M~1

No Brasil, as lendas de São Jorge foram misturadas com as lendas dos índios e a dos africanos que foram trazidos para cá. Jaci, a lua, guarda com a sua luz branda o sono dos homens e mulheres, a lua é o lugar onde mora São Jorge sempre em luta contra o mal. Na Bahia, o orixá Oxossi é ligado à Lua e a lua é de São Jorge. No Rio de Janeiro e no Recife, os crentes da Umbanda e do Candomblé fazem a ligação entre São Jorge e Ogun. Em todos os terreiros da Jurema Sagrada a presença de São Jorge é obrigatória.

O Programa Canavial nesta semana homenageia o Santo que com sua espada Ascalon defende o povo de todos os dragões e suas maldades.

 

Escrito para o PROGRAMA CANAVIAL e lido nos dias 16 e 17  de abril 2009

No tags

Theme Design by devolux.nh2.me