História e Canavial |

jul/10

2

AS ENCHENTES, A COPA E O BRASIL

PROGRAMA CANAVIAL

EDITORIAL 72

AS ENCHENTES, A COPA E O BRASIL

Severino Vicente da Silva

 

Caros amigos,

 

Faz duas semanas que, após um “inverno fraco” a nossa região da Zona da Mata recebeu uma quantidade de chuva bem maior do que era esperado. Em poucos dias choveu mais que os meses de maio e junho. Essa grande quantidade de água surpreendeu muita gente que nos últimos anos construiu casas na margem dos rios. As águas trouxeram os rios de volta a seu leito e muita gente perdeu tudo o que havia construído nos últimos dez ou quinze anos. O sofrimento foi maior na Zona da Mata Sul. Mas a gente precisa saber que o sofrimento que muita gente está passando não foi causado apenas pela chuva e pelas águas dos rios. Vez em quando a gente usa a expressão “foi a última gota d’água” para lembrar que um copo não fica cheio apenas por uma gota, mas por muitas gotas.

Rio Siriji volta às suas margens, as que possuia antes das usinas

Rio Siriji volta às suas margens, as que possuia antes das usinas - foto de Biu Vicente

 Assim, as chuvas, que aumentaram o volume das águas dos nossos rios, foram apenas a “última gota d’água”. As outras gotas foram a derrubada das árvores que ficavam próximo dos rios, foi destruição dos sítios com os pés de manga, as jaqueiras as goiabeiras e tantas outras árvores que forneciam frutas e seguraram as areias, a incompetência de nossos prefeitos que permitiram ocupações de áreas perigosas porque não consideraram os avisos dos geógrafos que para atender os desejos dos lucros das grandes empresas. Nessas chuvas, nessas enchentes, na Mata Norte ou na Mata Sul, sofrem os pobres, os que foram expulsos dos sítios, os que perderam suas casas para que mais canas fossem plantadas para mais álcool ser produzido. Agora é tempo de nos ajudarmos.

O Programa Canavial continua convidando a todos os que não foram atingidos pelas enchentes que auxiliem os que perderam suas casas. Nossa ajuda será o apoio necessário para que não se perca a esperança.

Também não vamos confundir os erros da seleção de futebol que Dunga montou com a nossa nação. O futebol é apenas mais uma paixão que nós temos e que tem sido usada pelos poderosos. O futebol é uma brincadeira que Dunga quis transformar numa guerra. O Brasil não perdeu nada, as empresas produtoras de cervejas que financiaram deixarão de ganhar o que esperavam.  O Brasil é maior que as enchentes que temos sofrido pelos erros dos nossos administradores; e o futebol do Brasil é bem maior que a legião de jogadores brasileiros que ganham fortunas na Europa.

Expulsando a Era Dunga, a que pensa que sabe tudo e não escuta a ningguém

Expulsando a Era Dunga, a que pensa que sabe tudo e não escuta a ninguém - foto tomada da bol.com

 

Texto escrito para os proggramas dos dias 2 e 3 de julho de 2010.

No tags

No comments yet.

Leave a Reply

<<

>>

Theme Design by devolux.nh2.me