História e Canavial |

TAG | Bonecos Gigantes

fev/11

23

Gigantes no Carnaval

PROGRAMA CANAVIAL

EDITORIAL 106 

GIGANTES NO CARNAVAL

Severino Vicente da Silva

Meus amigos,

Uma das marcas do carnaval de Pernambuco é uma multidão seguindo uma banda de frevo, uma multidão animada acompanhando um bloco. Em Olinda, cidade cujo nome está virando sinônimo de carnaval, além de seguir as troças Pitombeira dos Quatro Cantos e Elefante de Olinda, a multidão gosta de seguir bonecos gigantes. O mais famoso e mais olindense é o Homem da Meia Noite, que sai de sua casa, que fica no Largo do Bom Sucesso, sempre à meia noite do Sábado de Zé Pereira, desde 1931. O Homem da Meia Noite surgiu porque o marceneiro Benedito Barbaça e o pintor de paredes Luciano Queiroz se desentenderam com a diretoria da troça o Cariri. Desde então o boneco passou a dar início ao carnaval olindense.   

O Homem da Meia Noite e a Mulher do Dia

Até 1967 o elegante boneco vivia solitário na cidade. Naquele ano, Rodolfo Medeiros, Luiz José dos Santos inventaram a Mulher do Dia, cuja face foi modelada pelo artesão Julião das Máscaras. Sete anos depois, o mesmo Julião das Máscaras, a pedido de Edival albino e Ernane Lopes, fez o rosto de um menino e, assim nasceu o Menino da Tarde que já desfila na tarde do sábado, se recolhendo quando chega a noite. Três anos depois nasceu a Menina da Tarde, uma idéia de Dalma Soares confeccionada por Sílvio Botelho. E desde 1980 vem crescendo o número desses gigantes que animam o carnaval de Olinda.

Mas, o primeiro boneco gigante de Pernambuco apareceu na cidade sertaneja de Belém do São Francisco, em 1919. Para dar início ao Carnaval, padre Norberto, o vigário local imaginou um boneco que chegava da Europa pelo Rio São Francisco: era Zé Pereira que vinha se casar com Vitalina. Os primeiros bonecos foram construídos por Gumercindo Pires. E desde então vem sendo acompanhado pela Orquestra Dionnon Pires.

A tradição de bonecos gigantes vem de algumas cidades portuguesas, espanholas e belgas. Depois do Carnaval de Olinda, são muitas as cidades brasileiras que adotaram a idéia de fazer bonecos para guiar os foliões nas ruas da alegria de todos os carnavais. Em nossos carnavais da Mata Norte não temos bonecos gigantes, temos gigantes que se vestem de Caboclos de Lança, Caboclos de Pena, de Catirinas, de Mateus, Burrinhas, Caçadores, Caboclinhos, Pajés, para encher de cores e alegrias as ruas de nossas cidades.

O Programa Canavial convida a todos os folgazões e brincantes a fazer em cada uma de nossas cidades o maior carnaval que a cultura pernambucana pode fazer.

 

Para os dias 25 e 26 de fevereiro 2011

· ·

Theme Design by devolux.nh2.me