História e Canavial |

TAG | Pastoril

PROGRAMA CANAVIAL

EDITORIAL 99

Para os dias 7 e 8 de janeiro de 2011.

PREPARANDO AS ESCOLAS DE NOSSOS FILHOS

Severino Vicente da Silva

 

 

Meus amigos

Estamos a começar um novo ano, um novo período de nossa vida, e devemos vivê-la em todas as suas possibilidades. E um bom começo é verificar o que está acontecendo em nossas cidades. Vamos ficar atentos para saber se as escolas estão sendo limpas e preparadas para receber nossos filhos. Isso quer dizer que este é o momento em que os secretários de educação devem se reunir com os diretores das escolas e verificar se há cadeiras e mesas em quantidade suficiente e em boas condições de uso; observar se as instalações sanitárias estão funcionando corretamente e se a biblioteca da escola está sendo renovada. É também importante verificar se a área de recreio está limpa e bem aparelhada. A gente precisa aprender que uma escola é muito mais complexa do que ter apenas sala, quadro e professor. Vamos exigir que as nossas escolas públicas sejam tão boas, ou melhores que as melhores escolas particulares. E os vereadores, deputados, prefeitos e governador, juntamente com os seus secretários foram eleitos para gerenciar os impostos arrecadados de maneira a que todos os cidadãos tenham acesso ao que há de melhor, pois é para isso que nós produzimos a riqueza neste país.

 

E o melhor no início do ano são as festas em louvor e lembrança dos Reis Magos, sábios que, diz a tradição, saíram de suas terras e foram procurar o lugar onde nasceu Jesus, o maior de todos os reis. E é no louvor a esses sábios que são feitas as últimas apresentações do Pastoril com a Queima da Lapinha. Essa parte da festa que parecia ter sumido, nos últimos tempos tem renascido, ocorrendo em muitas cidades. No Recife ocorreram quatro queimas. E na Festa de Reis de Carpina, a maior da região, está sendo muito animada e com muitas apresentações de Babaus ou Mamulengos, além de Cavalo Marinho. Aliás, vocês sabiam que o Mestre Salustiano criou um Encontro de Cavalo Marinho lá na sua casa, A Casa da Rabeca em Olinda? Pois bem, os filhos dele continuam a fazer esse encontro que se realiza neste final de semana.

O Programa Canavial deseja todos muita alegria nesta Festa dos Santos Reis.

· ·

PROGRAMA CANAVIAL

EDITORIAL 96

PASTORIL E OUTRAS DANÇAS

Severino Vicente da Silva

 

Meus amigos,

A cada o Programa Canavial vem apresentando assuntos para as nossas conversas e são sempre a respeito de acontecimentos e criações que nossa região vem criando nos últimos duzentos anos. Essas brincadeiras, essas histórias, essas festas que fazemos a cada ano, e todos os anos, são o retrato da vida que vem sendo vivida nessa nossa terra desde os tempos dos avôs e avós dos nossos avôs e avós. A cada semana nós conversamos sobre a nossa história, a história que eles fizeram e nós herdamos e a história que nós estamos fazendo e que nossos filhos e netos herdarão.

Houve um tempo em que o PASTORIL era um teatro e uma dança comum e que se apresentava quase sempre na frente da Igreja. O Pastoril é parecido com uma peça de teatro na qual os artistas não falam, apenas cantam, e que é conhecida como Ópera. O Pastoril começou a ser dançado, em Portugal, muitos anos antes dos portugueses chegarem ao Brasil.

O Pastoril conta uma viagem que ciganas saem do Egito para se festejar com uma família na qual a mulher acabou de dar a luz a uma criança. Nessa viagem as pastorinhas, que são as ciganas do Egito, passam por muitos lugares; em algumas casas há jardins, e elas e lá encontram borboletas; no caminho fazem amizade com um pastor de ovelhas que as acompanha enquanto elas seguem uma estrela que as guia até a casa onde ocorreu o nascimento do menino que recebeu o nome de Jesus. Todos os nomes têm um significado e o nome Jesus significa “Deus Salva”. Ou seja, a história do pastoril é a história de pessoas que andam até encontrar um motivo para ficar alegres e serem felizes.

Diana e Anjo

Diana e Anjo

A dança-teatro do Pastoril  era apresentada até o dia seis de Janeiro, o dia da Festa dos Reis Magos, que também saíram de suas terras no Oriente para visitar o Menino que nasceu em um ligar muito simples e pobre, uma cocheira, um lugar que serve para proteger os animais.

Meus amigos, na nossa região, nós costumamos celebrar o tempo do Natal com danças como o Pastoril, o Cavalo Marinho, Cirandas, Cocos, e muito Forró. Esse é um período em que descansamos dos trabalhos do corte da cana enquanto a terra parece descansar também. O ritmo da vida dos homens e das mulheres acompanha o ritmo da terra. Eessa época de descanso é o período em que aparecem nossos artistas que cantam, dançam, vestem roupas coloridas e nos divertem como Ciganas, Pastores, Ambrósios, Mateus, Sebastiões, Empata Samba, Capitães Marinho e tantas outras figuras que nos fazem Reis do Oriente que cantam, seguindo a Estrela Guia sob a proteção dos Arcos de São Gonçalo.  

O Programa Canavial deseja parabenizar todos os artistas de nossa região que estão se aprontando para as apresentações nesse final de ano.

Para os dias 17 e 18 de dezembro de 2010.

·

Theme Design by devolux.nh2.me