Archive for October, 2010

Crianças e professores = festas


2010
10.24

A queda dentro do saco

O nosso Ponto de Leitura Estrela de Ouro de Aliança teve nas duas últimas semanas um pouco de festividade. Verdadeiramente cada sábado é uma festa, pois a convivência que vem ocorrendo está modificando o mundo dos professores monitores, o mundo das famílias e as crianças em constante mudança é sempre um motivo de festa. No sábado, dia 16 de outubro ocorreu a festa comemorativa do dia das crianças e toda a tarde foi de criação e recreação. Já no mês de setembro havia ocorrido a festa em homenagem aos Santos Cosme e Damião, cirurgiões que viveram à época do Império Romano curando as pessoas de maneira gratuita, especialmente  as crianças.

jovens lendo as instruções da Caça ao TesouroA festa Começou com a “CAÇA AO TESOURO”, melhor dizendo três tesouros, formados pelo critério de idade saíram e, busca de tesouro, catando dicas por todo espaço da Chã de Camará.

Cada grupo com dificuldades específicas. Os adolescentes formaram dois subgrupos. O tesouro talvez não tenha sido muito rico, mas a experiência de sair procurando o tesouro foi a grande riqueza.

 Então depois foi o momento do QUEBRA PANELA, proeza realizada por Andréa que quase ficou sem os confeitos que enchiam a panela que ela quebrou.

E então, fomos à CORRIDA DE SACOS, também por faixa etária com muito riso e algumas quedas, inclusive a do professor Biu Vicente que, animado pelos incentivos pensou que ainda era criança e descobriu que era e riu. Também a professora Danielle terminou por vencer uma seqüência da DANÇA DAS CADEIRAS.

Enquanto todos se divertiam com as brincadeiras, um grupo resolveu que deveria haver uma festa para os professores e que eles não precisavam saber, seria uma surpresa.

Professoras e crianças na Dança das Cadeiras

E a surpresa ocorreu no dia 23 pois enquanto os professores foram fazer uma reunião com Biu Vicente, os jovens organizavam o espaço para surpreender Wanessa, Érica, Danielle e Rogério. Quando acabou a reunião os professores encontraram uma sala organizada com bolos e refrigerantes e crianças ao seu redor. Pequenos discursos, algumas palmas, palavras emocionadas pela surpresa. Danielle disse que bateu palmas e cantou sem saber bem para que. Érica saiu da sala para esconder a emoção. Realmente elas não sabiam.

O movimento do Ponto de Leitura Estrela de Ouro, a Biblioteca Mestre batista atualmente recebe a cada sábado 40 crianças para atividades culturais e recreativas. As crianças dizem que vão à escola. Hoje Seu Francisco chegou com seus dois filhos, José Antonio, de cindo anos, e Letícia, de sete anos, e foi logo perguntando: “ainda tem lugar para meninos na escola?” Como dizer que não tem lugar, se ele diz que “os meninos pediram para vir para a escola” e dona Maria Antonia, avó de Andréa, fica na janela dizendo que “pode não ser escola, mas os meninos ‘desasnam”? Então pedimos a seu Francisco que ele traga uma declaração de que Dudô e Letícia estão matriculados na Escola Municipal Chã de Camará na próxima semana. Os seus filhos ficaram na “escola” e seu Francisco saiu contente para casa.

Andréa a caminho de quebar a panela

Como eu disse, é sempre dia de festa porque tem sempre criança querendo vir para a “escola” do Ponto de Leitura, mas precisamos de voluntários.

O Arreiamá


2010
10.16

O arreiamá

Adriano José
 

Arreimá na saída do Estrela de Ouro, Chã de Camará, Aliança, PE, 2009. Foto Biu Vicente

Arreimá na saída do Estrela de Ouro, Chã de Camará, Aliança, PE, 2009. Foto Biu Vicente

 

O arreiamá é um caboclo que parece não estar preparado Para a guerra, com um machado lembra os tempos do descobrimento do Brasil, os tempos que os índios cortavam o pau Brasil e de grande amizade com os nativos. O arreiamá pode está em todos os tipos de maracatus, nem só de baque virado, mas também nos de baque solto e até nos caboclinhos. No carnaval o arreiamá é quase o ponto principal dos maracatus, sua parte é mostrar que a cultura indígena ainda existe no Brasil, e se deus quiser próximo ano eu estarei lá, fantasiado de arreiamá.  

  professora essa é mais uma de minhas historias , leia essa história é uma recontação do livro do professor Biu Vicente

Texto de Adriano José

O Filho do mundo


2010
10.14

 

A história do filho do mundo
 
“Aqueles pobres sofridos, que se deslocam de um canto pra o outro em busca da sobrevivência do seu povo e da sua religião”.
Quando uma vida nasce, nasce também um cristão para sofrer seu pobre destino num poço chamado “mundo”. O destino desse cristão seria sofrer, e morrer.
Infeliz destino me teve ao ver o meu maior tesouro, ser machucado por o homem que o destino criou.
Sou eu a triste criança que teve o destino interferido pelo sofrimento, aos meus cinco anos de idade minha mãe se separou de mim e me deixou ao relento de meu pai, que sempre saia pra beber e me deixava com fome, como não tinha nada pra comer eu e meu irmão pegava farinha com açúcar e semeávamos com gosto, pois a sorte me abandonou.
Passado um tempo, eu já estava com uns dez anos na quarta serie apesar da má sorte eu era um aluno exemplar, mas meu pai não reconhecia que eu era diferente dele, que o mundo me criou. Eu não e
todos sabem e um pouco mais.
Hoje eu me sinto bem, mas o que eu sofri não será esquecido assim, “o meu futuro será diferente do meu passado” aqueles tempos de sofrimento já passaram. Minha vida agora é outro, mas o destino ainda interfere na minha vida, minha mãe ainda é separada do meu pai, o que me deixa fora do normal é o simples “amor” eu acho que o que me deixa feliz apesar da tristeza, hoje é quase um dos melhores do projeto “leitura no ponto” projeto fundado em mais ou menos em 2004, localizado no sitio chã do camará {entrada de upatininga, distrito de aliança}.
“eu não me considero normal, são muitos que através da tristeza encontraram a felicidade, já não sou o único.”
              Sou fogo, sou água
              Sou do catolé
              Sou louco, eu sou
               Adriano José.  
 
 
 imaginando, criando
                       
                               Adriano dos santos. Aliança – PE
                                                  (A história do filho do mundo)