Crianças e professores = festas

2010
10.24

A queda dentro do saco

O nosso Ponto de Leitura Estrela de Ouro de Aliança teve nas duas últimas semanas um pouco de festividade. Verdadeiramente cada sábado é uma festa, pois a convivência que vem ocorrendo está modificando o mundo dos professores monitores, o mundo das famílias e as crianças em constante mudança é sempre um motivo de festa. No sábado, dia 16 de outubro ocorreu a festa comemorativa do dia das crianças e toda a tarde foi de criação e recreação. Já no mês de setembro havia ocorrido a festa em homenagem aos Santos Cosme e Damião, cirurgiões que viveram à época do Império Romano curando as pessoas de maneira gratuita, especialmente  as crianças.

jovens lendo as instruções da Caça ao TesouroA festa Começou com a “CAÇA AO TESOURO”, melhor dizendo três tesouros, formados pelo critério de idade saíram e, busca de tesouro, catando dicas por todo espaço da Chã de Camará.

Cada grupo com dificuldades específicas. Os adolescentes formaram dois subgrupos. O tesouro talvez não tenha sido muito rico, mas a experiência de sair procurando o tesouro foi a grande riqueza.

 Então depois foi o momento do QUEBRA PANELA, proeza realizada por Andréa que quase ficou sem os confeitos que enchiam a panela que ela quebrou.

E então, fomos à CORRIDA DE SACOS, também por faixa etária com muito riso e algumas quedas, inclusive a do professor Biu Vicente que, animado pelos incentivos pensou que ainda era criança e descobriu que era e riu. Também a professora Danielle terminou por vencer uma seqüência da DANÇA DAS CADEIRAS.

Enquanto todos se divertiam com as brincadeiras, um grupo resolveu que deveria haver uma festa para os professores e que eles não precisavam saber, seria uma surpresa.

Professoras e crianças na Dança das Cadeiras

E a surpresa ocorreu no dia 23 pois enquanto os professores foram fazer uma reunião com Biu Vicente, os jovens organizavam o espaço para surpreender Wanessa, Érica, Danielle e Rogério. Quando acabou a reunião os professores encontraram uma sala organizada com bolos e refrigerantes e crianças ao seu redor. Pequenos discursos, algumas palmas, palavras emocionadas pela surpresa. Danielle disse que bateu palmas e cantou sem saber bem para que. Érica saiu da sala para esconder a emoção. Realmente elas não sabiam.

O movimento do Ponto de Leitura Estrela de Ouro, a Biblioteca Mestre batista atualmente recebe a cada sábado 40 crianças para atividades culturais e recreativas. As crianças dizem que vão à escola. Hoje Seu Francisco chegou com seus dois filhos, José Antonio, de cindo anos, e Letícia, de sete anos, e foi logo perguntando: “ainda tem lugar para meninos na escola?” Como dizer que não tem lugar, se ele diz que “os meninos pediram para vir para a escola” e dona Maria Antonia, avó de Andréa, fica na janela dizendo que “pode não ser escola, mas os meninos ‘desasnam”? Então pedimos a seu Francisco que ele traga uma declaração de que Dudô e Letícia estão matriculados na Escola Municipal Chã de Camará na próxima semana. Os seus filhos ficaram na “escola” e seu Francisco saiu contente para casa.

Andréa a caminho de quebar a panela

Como eu disse, é sempre dia de festa porque tem sempre criança querendo vir para a “escola” do Ponto de Leitura, mas precisamos de voluntários.

Tags: , , ,

2 Responses to “Crianças e professores = festas”

  1. Afonso Oliveira says:

    Professor,

    Maravilhoso. Toda vez que leio eu me transporto e me transformo.
    Abç
    afonso

  2. Geovanni Cabral says:

    Que encontro maravilhoso, passou um filme na minha cabeça. Lembro dessas brincadeiras, da corrida de saco, da cadeira, do quebra panela, da luta desenfreada para conseguir um pacote de confeito de Cosme e Damião. Saudadesssss. É gratificante saber que tais brincadeiras ainda persistem nas comunidades e são lembradas por muitos. As crianças hoje ´da cidade não conhecem nada disso, sabem do MP4, do game, dos shopings, das cenas eróticas das novelas, etc. Muitos não conhecem porque não foi apresentado, seus pais esqueceram ou não dão importância, as escolas lembram de algumas, mas não põem em prática. Bom, que essas festas persitam e que essas brincadeiras contagiem cada vez mais crianças para que essas permaneçam em nossa cultura.

Sua Resposta