Posts Tagged ‘Manuela’

Gabi


2011
11.12

Gabi veio me procurar e pediu para dizer um pouco do seu sentimento no Ponto de Cultura e na BiBlioteca Mestre Batista
eis o que ela disse:

Sou Gabi, meu nome completo é Gabriela Estéfano Meneses de Moura, moro na Chã de Camará, tenho 11 anos e estuda no Quinto Ano na Escola Municipal Chã de Camará. Gosto de estudar, de brincar. Gosto de jogar futebol. A minha professora é Ana Alice e ela passa tarefas de português, Matemática, Ciência, Geografia, História, Inglês, Religião e Redação.
Todos os sábados eu vou ao Ponto de Cultura Estrela de Ouro, vou estudar com as professoras Wanessa e Manuela, e conheço as professoras Daniela e Érica. Também conheço os professores Biu Vicente e Ederlan. Gosto muito de ler livros da Biblioteca Mestre Batista. Outro dia li um livro das cem melhores poesias brasileiras. Outra atividade que faço é dançar no Maracatu Estrela de Ouro de Aliança, saio como uma índia.

A minha vida muda quando estou no Ponto de Cultura Estrela de Ouro porque fico feliz.

Prof. Biu Vicente

Um pouco de Milena


2011
11.12

Hoje quem conta um pouco sobre o Ponto de Leitura é Milena. Ela ficou me dizendo as palavras e eu fui escrevendo, ajudando a dar forma. O Importante é o texto dela

UM POUCO DE MILENA

Meu nome é Milena Rosângela Nunes do Nascimento, eu tenho doze anos de idade e moro Assentamento Margarida Alves, que fica em Aliança. Eu tenho cinco irmãos. Meu pai ele toca “mineiro” no Terno do Maracatu. Eu estudo na Escola Municipal Chã do Camará, faço a terceira série. Eu faço tarefas de matemática, português e levo tarefa para fazer em casa.

Aos sábados vou para a sede do Maracatu Estrela de Ouro de Aliança, onde funciona a Biblioteca Mestre Batista que faz parte do Ponto de Cultura. Eu venho com meus irmãos Maria José que é conhecida por Nana, e Breno. Na Biblioteca eu encontro Manuela e Érica e Daniela que são as orientadoras.
Hoje eu fiz desenhos de gato, rato e manteiga e depois pintei. Isso fez parte uma história sobre um Gato e um Rato. Foi uma história em o Rato enganou o Gato. o rato dizia que ia para uma festa, para enganar o gato. O rato dizia era a festa dos sobrinhos que se chamava Média, Pouquinho e Vazio. Na verdade o Rato comia a manteiga e Médio era quando o pote de manteiga estava pela metade, Pouquinho era quando ainda havia manteiga e vazio quando já não tinha nada.
Eu tenho uma carteirinha da Biblioteca Mestre Batista, ela serve para tomar livro emprestado e levar para ler em casa. Todos os sábados eu levo um livro e devolvo no sábado seguinte. Já levei para ler em casa a revista do Sítio do Pica-Pau Amarelo.

prof. Biu Vicente

Novas brincadeiras


2011
08.28

Novas Brincadeiras
Manuela Guedes

Continuando nossa conversa, quero lembrar que continuamos a brincar.
No encontro seguinte continuamos a conversar sobre o Folclore, dissemos que o pernambucano gosta na sua particulalaridade e de lugares que predominam manifestações culturais como frevo e maracatu, no Recife; de ciranda no litoral; de lendas populares e maracatu rural na Zona da Mata; de banda de pífanos e quadrilha matuta em Caruaru; das carrancas do São Francisco e do artesanato em Tracunhaém; das vaquejas de Surubim e Vitória de Santo Antão; de baião e xaxado no Sertão do Araripe; de poesia popular e Literatura de Cordel em Sertânia, Afogados da Ingazeira, São José do Egito; de coco em Arcoverde. Pernambuco encontra essa diversidade em suas raízes. E por isso no dia 22 de agosto, comemoramos e festejamos essa cultura tradicional, formada e influênciada por europeus, por africanos e povos indígenas primeiros habitantes do Brasil.
Depois dessa viagem sobre a nossa cultural, demos continuidade às atividades artisticas e educativas. Vamos brincar de escrever?
Quando falo brincar de escrever, não quero impor obrigação e sim liberdade. Mas você me pergunta: podemos brincar de escrever? Sim, várias brincadeiras podem estimular o pensar e a escrita, e tudo fica mais divertido. Quem já não brincou de advinhar nome, objeto e fruta? jogo de palavras? Podemos usar a escrita para sentirmo-nos felizes e expressar o que sentimos.
Mas desta vez fizemos diferentes, criamos outra brincadeira de acordo com uma data comemorativa que todas as crianças, jovens e adultos gostam e se sentem crianças quando pode comemorar essa data. Escrevemos cartas.
As escritas dessas cartas levam a fundamentos importantes que estimulam a expressão do eu. Sem tema para seguir e determinação de quantidade de linhas, os jovens soltaram a imaginação e começaram a escrever, cada uma, a sua carta, com um propósito: após o término, colocá-las dentro de uma linda caixa colorida confeccionadas por elas, e essas cartas ficarão mantidas em segredo até o dia Das Crianças, e faremos uma grande surprêsa.
O objetivo dessa atividade é estimular os jovens a pensarem e a escrever, mas esses estímulos ele tem que vir acompanhado de um certo incentivo final dessa atividade e o que eles receberão por isso, prêmios.
A brincadeira de escrever nomes levou aos enfeites das cartas, as quais teviram direito a um lindo envelope colorido. As jovens também tiveram a preocupação no cuidar dessas cartas, com uma caixa de papelão, elas enfeitaram, deram cor e brilho. As cartas ficarão guardadas até o mês de outubro.
Concluíndo a brincadeira de dar cor a uma caixa de papelão, fomos fazer outro fantoche, só que dessa vez foi saco de papel, tema livre, fizeram: onça, tigre, professor Biu Vicente. A criação do fantoche ficaram por conta dessas Jovens. Detalhe, fizeram até um bolsinho da camisa do professor.